terça-feira, 19 de junho de 2012

Alma prisão do corpo

Foucault, em uma análise que não tem nada a ver como assunto em que vou utilizá-la, e também não é especificamente do jeito que vou explicar, mas pra meu propósito vai servir, se você quiser filosofar sobre a ineficiencia dos sistema penal comtemporâneo pode ficar lá pelo vigiar e punir, está bem no começo, antes da 50° página, boa sorte. Duplicidade de corpo, ou outro corpo que acaba sendo uma alma. Entenda pelo perfeito exemplo de um rei, ele é um cara com o corpo dele, e o cargo dele, se o corpo dele morrer outro ocupará aquele lugar,a função é sempre a mesma, e ela pesa, pesa como outro corpo, como uma alma que o envolve, ser rei. É um ser com dois corpos, o seu próprio e esse outro que o envolve, essa alma é a prisão de seu corpo. Eu tenho posto muita gente, muito corpo, na alma que desejo. Eu acho a pessoa e pá, ela se encaixa, uma garota gótica, que gótico não ia querer? Ou qualquer outro tipo de pessoa alternativa, um garoto meio que indie, conhecedor de boa música, bons filmes, ter assunto, se identificar com seus gostos, ter coisas em comum que são mera afinidade artistica, coisas assim... tem pessoas que carregam a alma que eu quero. E eu também carrego a que algumas querem, e então não se importam com o corpo verdadeiro, só com esse. Ou com todo o conjunto. Bem, isso acabou de mudar em 50% minha vida, eu sei o último conjunto que realmente amei, depois dela todos os outros tem sido corpos quaisquer em uma alma que chama atenção. De verdade em verdade vos digo, admitam isso pra vocês mesmos e tenho a séria esperança de que 25% dos seus problemas estarão resolvidos, você poderá chegar e se declarar pro corpo que está na alma que você quer, e se ele não te aceitar você pode seguir em frente sem o menor arranhão no ego, pois você pode dizer a ele, ou mais sensatamente apenas a si mesmo, enquanto se declara: "estou apaixonado pela alma que te circunda, pelo que você representa pra mim, se me quiser de algum jeito também ótimo, senão, fale logo que vou seguir aqui com meus devaneios". Esse é o mais perto que cheguei de uma tese comportamental sobre paixão, que pode ser o que mais perto cheguei de pensar em resolução sobre amor, quando você gostar de verdade do corpo que está dentro daquela alma será amor, daí... sinceramente, você está fudido, não posso te ajudar com isso ainda, mas antes disso, fica aqui esse alerta, verifique esse deslumbramento ai, pode ser só admiração por uma alma envolvedora, daí o resto, parece frio, né? Mas eu chamo honestidade e eficiencia. Se você for honesto com você te poupará muitas decepções, e portanto, é eficiente, não? Deixe pra ser "quente", deixe pra ser bobo, quando estiver amando realmente ;)
PARE DE ENGANAR A SI MESMO, qualquer dia seu cérebro vai mandar um grilo ou coisa assim pular no seu ombro pra dizer que você não o engana mais.
Finais são bençãos ambivalentes.